Notícias

Passageiros a partir do Fogo passam, também, a ser obrigados a fazer testes rápidos antes de viagem


24 Set 2020 Sociedade

Com esta medida aprovada pelo Conselho de Ministros, Fogo junta-se às ilhas de Santiago e do Sal, a partir das quais os viajantes são obrigados a realizar testes de despistes prévios.  Já os testes PCR, para viagens internacionais, ficam com preço fixo de 11 mil escudos

O Conselho de Ministros procedeu à terceira alteração à Resolução nº 77/2020, de 29 de Maio, que aprova a estratégia de levantamento gradual das medidas restritivas e estabelece as condições gerais de segurança sanitária, aplicáveis às instituições, empresas, serviços ou actividades, assim como os procedimentos específicos a observar, por razões de saúde pública, no contexto da contaminação por SARS – COV – 2.

Assim, além das ilhas de Santiago e do Sal, a realização de testes de despistes, prévios às viagens interilhas, aplica-se, doravante, também, nas ligações domésticas de passageiros a partir da ilha do Fogo, enquanto se mantiver a situação epidemiológica actual.

Preço fixo dos testes PCR fica nos 11 mil escudos

O Governo, pelo Vice – Primeiro-Ministro e Ministro das Finanças, e pelo Ministro da Saúde e da Segurança Social, determinou o preço fixo de 11 mil escudos para a realização de testes PCR para a identificação do SARS-COV-2, para as viagens internacionais. 

Recorde-se que, recentemente, ao abrigo das suas atribuições, a Agência Reguladora Independente da Saúde, ERIS, estabeleceu o preço máximo dos testes PCR em 14 mil escudos.



Relacionados

Comentários

Pesquisar