Notícias

Partidos Políticos com reações diferentes ao acordão do Tribunal Constitucional em resposta à uma queixa do PAICV


22 Set 2020 Política

Para o PAICV trata-se de uma vitória de todos. O MPD diz respeitar acordão. O Partido Popular não gostou e a UCID discorda, mas respeita.

Afinal, os partidos políticos já vão, durante a campanha eleitoral, poder distribuir t-shirts e chapéus com os respectivos símbolos, ao contrário do que a Comissão Nacional de Eleições, CNE, havia deliberado.

A decisão consta dum acórdão do Tribunal Constitucional,  em resposta a uma queixa do PAICV contra a determinação do órgão que superintende as eleições.

Confrontado com esta decisão judicial, o dirigente do PAICV, João Baptista Pereira considera que se trata de uma vitória de todos e que a CNE não pode ir para além daquilo que o código eleitoral estipula.

O MPD, por seu lado, também respeita a decisão do Tribunal Constitucional da mesma forma que respeitou a medida que a CNE havia decretado.

Segundo a Secretária-geral do partido, Filomena Delgado, o MPD vai agora preparar-se para apoiar os seus candidatos com t-shirts e respectivos logótipos.

Quem não gostou da decisão do Tribunal Constitucional é o líder do Partido Popular.

Amândio Barbosa Vicente diz que o partido revê-se na deliberaação da CNE,  porque, justifica,  a distribuição de brindes em tempos de eleições condiciona a decisão dos eleitores.

A UCID discorda mas respeita a decisão do Tribunal Constitucional.
Esta é a reacção do presidente da União Cabo-verdiana, Independente e Democrática.
António Monteiro realça que, a partir de agora, todos os brindes são válidos.

Este é um caso espoletado pelo PAICV, que se queixou ao Tribunal contra a deliberação da CNE de proibir a distribuição de camisolas durante as campanhas eleitorais.

Carlos Moniz / José Leite, RCV
Editado por Benvindo Neves


Reações dos dirigentes do PAICV, MPD, PP e UCID



Relacionados

Comentários

Pesquisar