Notícias

Delegada de Saúde da Praia espera um quadro de doenças respiratórias e gastrointestinais, depois das chuvas


20 Set 2020 Saúde

A Delegacia de Saúde da Praia (DSP), Ulardina Furtado, está mobilizada para atender os problemas de saúde pública resultantes da queda de chuvas, em particular doenças de foro respiratório e gastrointestinal, sem falar no endémico paludismo, que demandam normalmente os serviços de vigilância epidemiológica nesta época do ano.

“Não temos só a Covid19 para nos preocupar, temos também as doenças de transmissão vectorial e as gastrointestinais, principalmente em criança. Neste momento já estamos à espera de que apareçam outros quadros respiratórios”, explicou a Delegada da Saúde da Praia, que garante que os serviços estão “atentos”, tendo já dado início às campanhas de pulverização.

 

De acordo com Ulardina Furtado, a DSP está a tratar os focos de mosquitos, tanto os já conhecidos como os que aparecem pela primeira vez, e prepara-se, com a abertura dos aeroportos, para acompanhar os vossos que chegam a Cabo Verde provenientes de países endémicos em termos de doenças de transmissão vectorial.

 

A Delegada da Saúde da Praia recordou que, há quase três anos, Cabo Verde não regista casos autóctones, mas chama a atenção para o risco, sempre presente, de ocorrer a entrada de pessoas doentes que podem ser picadas pelos mosquitos e estes transmitirem a doença.

 

Fonte: RCV/Estrides Lima

Edição Multimédia: Orlando Rodrigues

Comentários

Pesquisar