Notícias

PR e o caso Alex Saab: "não me lembro de receber tantos telefonemas de Chefes de Estados estrangeiros"


04 Jul 2020 Política

O Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, considera delicado o caso do empresário colombiano, Alex Saab, detido em Cabo Verde a pedido da Interpol

Jorge Carlos Fonseca escusou-se a comentar o caso em concreto, mas vai dizendo que todo o processo judicial terá que obedecer às regras do Estado de Direito Democrático.

“Nós temos que funcionar como um Estado de Direito democrático. Concretamente, que o detido, ou a detida teria de ter, e tem que ter, o acesso à todas as garantias de defesa que a Constituição exige para qualquer pessoa detida em qualquer processo judicial. Portanto, o que posso dizer é que espero, estou seguro e faço apelo a que este processo seja conduzido de acordo com as regras próprias de um Estado de Direito democrático.”

Alex Saab foi detido a pedido da Interpol pela polícia judiciária cabo-verdiana, quando fazia uma escala técnica na ilha do Sal.

O Chefe de Estado cabo-verdiano admitiu perante um coletivo de jornalistas que o desfecho do caso poderá ter implicações nas relações externas de Cabo Verde.

“Se isto tem implicações? tem. É evidente que nós somos um país pequeno, há muitos interesses à volta do caso. Tanto assim que - isto creio que não é nenhum segredo de Estado - não é por acaso que  não me lembro de receber tantos telefonemas, chamadas de Chefes de Estados estrangeiros.”

Após a detenção,Alex Saabfoi transferido para a ilha de São Vicente onde aguarda a decisão do Tribunal de Relação que terá recusado um pedido de habeas corpus interposto pela da Defesa.

Os Estados Unidos pedem extradição do empresário, de origem libanesa que, segundo a imprensa estrangeira, vinha sendo investigado pela Justiça da Colômbia e dos Estados Unidos, por lavagem de dinheiro.

Levi Salomão, RCV
Editado por Benvindo Neves

Comentários

Pesquisar