Notícias

Agências de Viagens não vão reembolsar em dinheiro bilhetes comprados pouco tempo antes da pandemia


03 Jun 2020 Economia

Os Bilhetes de viagem comprados pouco antes da pandemia da covid-19, não vão ser reembolsados monteriamente, mas sim revalidados por um período de um ano.

Quem o diz é o vice-presidente da Associação das Agências de Viagens de Cabo Verde, que defende a prorrogação da suspensão do contrato de trabalho entre três a seis meses.

Bino Santos, que falava esta quarta-feira ao programa Opinião Pública da RCV,  adiantou que estas e outras medidas poderão dar mais conforto às Agências.

À semelhança de várias outras empresas, as Agências de Viagens passam por momentos de aperto por causa da paralisação neste período da pandemia.

E como tal, defendem com alguma urgência a liquidação das dívidas do Estado para com as Agências de Viagens, o pagamento das Comissões da Taxa de Segurança Aeroportuária, dos 35 por cento de salários por parte do INPS e a prorrogação do período do Lay Off ou da suspensão do contrato de trabalho.

Ademais, diz Bino Santos, seria importante para as Agências de Viagens se se prorrogasse o período da moratória dos créditos e se fosse aumentado o período de carência para novos créditos e da licença das Agências por um ano.

O Vice-presidente da Associação das Agências de Viagens de Cabo Verde diz que estas medidas poderão aliviar, dar mais conforto e mais folego às Agências.

Quanto aos bilhetes de viagens comprados, Bino Santos afirma que não haverá reembolso monetário, mas sim revalidação, com o prazo de um ano. Os clientes que compraram os bilhetes de Viagens e não as utilizaram por causa da pandemia, têm o prazo de um ano para as utilizar.

Pode acompanhar o programa Opião Publica na íntegra no link a seguir:



Relacionados

Comentários

Pesquisar