Notícias

Estado de Emergência: Polícia Nacional encerra 1206 estabelecimentos e detém 40 indivíduos


06 Abr 2020 Sociedade

Detenção de pessoas e viaturas, encerramento de estabelecimentos, controlo e fiscalização marítima e investigação a 63 navios. São números referentes as actividades levadas a cabo pela Polícia Nacional e pelas Forças Amadas neste período de Estado de Emergência.

A Polícia Nacional tem no terreno perto de 2 mil efectivos, 1896 para sermos mais precisos. Com este contingente, reforçado com a Polícia Marítima e os agentes da Inspeção Geral das Atividades Económicas, foi possível intervir em vários domínios e ramos de actividade, no período compreendido entre 29 de Março e 4 de Abril.

Assim sendo, diz o Director Nacional na PN, Emanuel Estaline Moreno, foram feitas detenções de pessoas e viaturas, bem como encerramento de alguns estabelecimentos. “A nível nacional, acabamos por encerrar 1206 estabelecimentos durante o nosso patrulhamento. Destas fiscalizações, foram conduzidas para identificação nas Unidades um total de 1025 cidadãos. 40 pessoas foram detidas por incumprimento da quarentena, 24 indivíduos também foram detidos por desobediência às autoridades e apresentados ao Ministério Público. No trânsito, acabamos por apreender 293 viaturas em todo o país, na sequência de incumprimento das medidas de restrição de circulação.”

Viaturas continuarão a ser apreendidas

A detenção de viaturas, conforme explicou o Ministro da Administração Interna, deve-se à desobediência e abuso por parte das pessoas. Paulo Rocha adiantou, no entanto, que a Polícia tem estado a devolver as viaturas. “Já foram devolvidas várias, mas as pessoas têm de perceber que a Policia vai continuar a apreender viaturas em todo o pais, porque nós temos de conseguir vencer esta batalha. É uma necessidade e uma obrigação”.

À esta advertência, o ministro da Administração Interna acrescentou outro aviso àqueles que incumprem. “As pessoas que não ponham as autoridades nesta situação difícil de ter de apreender viaturas, mas se for preciso apreender viaturas e fazer detenções, teremos de faze-las para o bem e para a saúde de todos nós”.

Forças Armadas:153 horas em transporte logístico

No terreno estão também as Forças Armadas que têm estado a apoiar no isolamento dos hotéis na Boa Vista, no patrulhamento marítimo e urbano para a manutenção da ordem e na sensibilização, fiscalização e controlo das medidas decretadas em parceria com outras entidades. Do trabalho feito, adiantou o Chefe de Estado-Maior, Anildo Morais, foram feitas abordagens a navios e a pessoas. “Abordagem de pessoas aglomeradas e respectiva comunicação à Policia Nacional, detenção de pessoas por desobediência e entrega à Polícia, abordagem à pessoas que não respeitavam o distanciamento social, abordagem de pessoas a circular nas ruas e o aconselhamento das mesmas a fim de se dirigirem às respectivas residências”.

Arlindo Morais apresentou ainda outros dados do trabalho das Forcas Armadas neste momento de Estado de Emergência: “Foram efectuadas 153 horas em transporte logístico, na sua maior parte em transporte de amostras para as testes na cidade da Praia, tendo sido realizadas 11 missões em transporte de amostras e de kits. Durante a Operação Covid-19, a Guarda Costeira avistou cerca de 150 navios e investigou 63.”

Neste período de contingência, as Forças Armadas de Cabo Vede têm no terreno 108 militares. Ao Governo, todas as forças de segurança reiteram o apoio para o combate e prevenção do COVID-19. As Forças de Segurança vão continuar no terreno para garantir o cumprimento das restrições com agentes e militares espalhados pelos vários pontos do país.


Jornalista Hermen Alfredo
Editado e disponibilizado online por Benvindo Neves



Relacionados

Comentários

Pesquisar






ESTATUTO EDITORIAL RCV