Notícias

Apesar da redução da verba o Ministério da Cultura promete consolidar projetos estruturantes em 2020


Abraão Vicente - Ministro da Cultura e Industrias Criativas
05 Dez 2019 Economia


Na ausência de provisão de verbas no Orçamento de Estado para o Plano Estratégico da RTC, o Ministério da Cultura e das Industrias Criativas poderá arrancar com a transição do analógico para o digital na empresa pública de comunicação.


Informações avançadas pelo Ministro, Abraão Vicente, que apesar de uma redução no orçamento total e no de investimento no sector da cultura em 2020 assegura que grande parte das obras e projetos serão concretizados, graças a financiamento adicional no quadro do Programa de Requalificação, Reabilitação e Acessibilidades, PRRA.

O orçamento de investimento, em 2020, cai, a nível nominal, de 162 mil para 149 mil contos, menos 8,8%, e o orçamento total do Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas para 2020 diminui de 495 mil contos para 486 mil contos, redução em relação a 2019, de 1,9%. Mesmo assim, defende, o Ministro da Cultura e das Indústrias Criativas, Abrão Vicente, está assegurada a concretização dos projetos, nomeadamente os inscritos no PRRA.

A Igreja de Nossa Senhora do Rosário e a Igreja de Nossa Senhora da Luz em Santiago, garante o Ministro, vão ter dupla vertente.

E para, que não fique em causa a transição tecnológica na RTC, afiança Abrão Vicente, o Governo vai avançar com um plano B, tendo em conta, que a verba de cerca de 400 mil contos para implementação total do Plano Estratégico para a empresa pública de comunicação não foi inscrita no Orçamento de Estado de 2020.
 
Refira-se, que o orçamento do Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas em 2020, representa 0.71% do valor total do Orçamento Geral do Estado para este ano económico, que se avizinha.


Cândido Amorim Fortes - RTC/Praia

Disponibilizado online por Mário Almeida

Comentários

Pesquisar