Notícias

Sistema das Nações Unidas e Emprofac analisam alternativas para fornecer medicamentos a Cabo Verde


Emprofac
16 Jul 2019 Sociedade


A Coordenadora Residente do Sistema das Nações Unidas defendeu que Cabo Verde deve aproveitar o encontro dos países insulares previsto para o final deste mês na cidade da Praia para introduzir na agenda o debate sobre o acesso a mercados internacionais de venda de medicamentos.


Um desafio acolhido de pronto pelo Presidente do conselho de administração da Emprofac. A  visita da coordenadora das Nações Unidas às instalações da EMPROFAC há muito estava prevista, mas só agora acontece, numa altura em que o país está a tentar repôr alguns medicamentos no mercado, depois de uma ruptura de stock.
 
O Oresidente do Conselho de administração da Empresa Nacional de Produtos Farmacêuticos garante que do encontro de ontem à tarde saíram algumas ideias e propostas que vão começar a ser implementadas de imediato, a começar por compras conjuntas com outros países que enfrentam os mesmos desafios que Cabo Verde. Tudo com o objectivo, diz Gil Évora, de diversificar os mercados fornecedores.

Cabo Verde, diz por sua vez a coordenadora do sistema das Nações Unidas, deve aproveitar a experiência de alguns pequenos Estados insulares no que diz respeito ao acesso aos mercados internacionais de medicamentos. Para já, o país, defende Ana Graça, deve levar este assunto para a reunião do grupo de SAMOA, marcada para o final deste mês na capital cabo-verdiana.

Ana Graça afirma ainda que a nível das agências, dos fundos e programas das Nações Unidas é possível identificar caminhos e experiências que possam ser úteis em matéria de abastecimento de medicamentos.

Para além de um encontro de trabalho com a administração da EMPROFAC, a coordenadora residente do sistema das Nações Unidas, que se fez acompanhar do responsável do escritório da OMS em Cabo Verde, visitou os armazéns da empresa.


Carlos Santos - RTC/Praia

Disponibilizado online por Mário Almeida


Comentários

Publicidade