Notícias

"Autoridades culturais em Cabo Verde até agora não entenderam que o finaçon é um património cultural imaterial do país" Princesito


Músico, Investigador cultural e escritor, Carlos Alberto Sousa, Princesito
23 Ago 2018 Cultura

O finaçon é um património cultural imaterial do país, com potencial para ser património Mundial. É o que considera o Músico, Investigador cultural e escritor, Carlos Alberto Sousa, Princesito, que tem já concluído um novo livro de Finaçon centrado na temática Mulher, mas ainda sem data de lançamento.

A margem dessa falta de valorização do Finaçon, na perspectiva de Princesito, os cultores desse género devem continuar a fazer o trabalho que já fazem mas, é preciso promover o ensino, e capacitar cantadores e cantadeiras.

O Músico, Investigador cultural e escritor falava a rádio de Cabo-Verde a partir da Holanda, onde no dia um de Setembro realiza um concerto que encerra a sua digressão por alguns países europeus, e uma serie de encontros intimistas com a diáspora Cabo-Verdiana.

Uma entrevista que poderá ser acompanhada no programa Kultuart, hoje depois das 16horas na RCV.

Miriam Lopes dos Santos- RCV
Disponibilizado online por Cláudia Livramento


Músico, Investigador cultural e escritor, Carlos Alberto Sousa, Princesito



Relacionados

Comentários

Publicidade